terça-feira, 13 de setembro de 2011

Editorial


Provavelmente a ligação mais íntima entre à literatura e a música seja a ópera. É como se cada idéia melódica possuísse uma estrutura sintática com sujeito, predicado e complementos e ao compor, o músico, desenvolve-se uma espécie de texto musical de suas idéias do mesmo modo que o autor na criação do texto literário, tornando o libreto para o compositor como o livro é para o escritor. As afinidades entre estas duas artes são tão grandes que ao longo de toda história acabam na maioria das vezes sendo a fonte inspiradora uma da outra. E neste jogo cênico onde letras e acordes, dramas e alegrias se encontram de forma tão eloqüente, ora em farsa, ora em tragédia, é que apresentamos algumas obras primas dos palcos e da literatura mundial presentes em nosso Acervo com uma pequena biografia de seus autores. No programa: Homem Proibido, adaptações da tragédia Adiana Lecouver de Eugène Scribe e Ernest Legouvé, Amor e Liberdade, do romance O Pequeno Mundo Antigo de Antonio Fogazzaro, À Sombra da Guilhotina, da ópera André Chénier de Luigi Illica, Maria Stuart, da peça de Friedrich Schiller, Tristão e Isolda, da lenda céltica transformada em ópera por Richard Wagner, As Duas Órfãs do melodrama de Adolphe D'Ennery, Juramento de Cigana, adaptação do clássico O Trovador, de García Gutiérrez e O Segredo da Mulher vestida de Branco de William W. Collins. E antes de soar o terceiro sinal e seguirmos para nossas poltronas, visite os novos contos de Os Grandes Amores do Passado, com histórias reais dos romances entre Ludwig van Beethoven e Tereza von Brunswik, Wolfgang Amadeus Mozart e Constância Weber e finalmente Richard Wagner e Cosima Liszt. Bom espetáculo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário